Vale a pena implementar a gestão por competência na empresa?

Gestão por competência: conheça melhor esse conceito e se vale a pena implementar na sua empresa.


A gestão por competência, junto da avaliação de desempenho e do mapeamento de competências, é fundamental para a gestão de pessoas dentro de qualquer organização. Isso porque ela ajuda a atender algumas necessidades específicas que são indispensáveis para que o negócio cresça e se desenvolva.

 

Ainda mais no mercado atual, é imprescindível que os profissionais de RH dominem os principais conceitos e as ferramentas dessa gestão. Pensando nisso, trouxemos neste post uma série de informações que ajudará você a entender o assunto!

 

Interessado? Então, continue lendo para conferir o que é essa gestão por competência, quais são os seus benefícios, seus principais desafios e, finalmente, qual é o papel do gestor nesse processo!

 


O que é gestão por competência?

 

Chamamos de “competências” todo o conjunto de conhecimentos, habilidades e comportamentos (ou atitudes) de um profissional. A gestão com esse foco, então, é uma metodologia adotada pelo setor de RH que analisa e gerencia os colaboradores a partir, justamente, desse perfil profissional.

 

Em vez de medir os resultados pelo número de entregas ou pelo desempenho geral, por exemplo, os colaboradores são desenvolvidos a partir das suas competências individuais e coletivas. Afinal, isso impacta diretamente a sua performance.

 


Quais são os benefícios desse tipo de gestão?

 

Se você ainda não se convenceu de que esse modelo é útil para a sua empresa, confira os principais benefícios que ele pode proporcionar!

 

Diminuição de rotatividade

 

Em primeiro lugar, a gestão por competência torna todo o processo seletivo do negócio bem mais rápido e eficaz. Possibilita que as contratações estejam alinhadas com as competências essenciais para o sucesso da empresa, diminuindo a rotatividade. E isso gera um ambiente mais favorável a bons resultados.

 

Desenvolvimento dos colaboradores

 

Uma empresa que utiliza essa gestão consegue reunir uma série de habilidades, conhecimentos e comportamentos que serão utilizados como referência para cada função. Logo, quando um colaborador não apresenta as competências esperadas para a função, possui informações do que precisa desenvolver.

 

Se o problema for a falta de conhecimento sobre determinado assunto, por exemplo, esse profissional poderá participar de treinamentos para desenvolver tal aspecto. Já se for comportamental, ele poderá participar de uma capacitação específica ou mentoria, para que se desenvolva. De um modo ou de outro, estará sempre aprendendo.

 

Maior engajamento da equipe

 

Não é apenas a empresa que percebe as vantagens desse modelo de gestão, pois os colaboradores também se sentem valorizados.

 

Em algumas companhias, a falta de conhecimento ou de habilidades pode resultar em uma demissão — o que, sem dúvida, é motivo de insegurança para os profissionais. Já em negócios que adotam a gestão por competência, os colaboradores reconhecem que, se têm algum ponto de melhoria, podem desenvolvê-la até que se torne uma força. Afinal, o objetivo é justamente desenvolver a sua força de trabalho.

 

Expectativas alinhadas

 

Outro aspecto muito positivo dessa gestão por competências é que tanto a empresa quanto o colaborador contam com extrema transparência sobre suas expectativas.

 

Logo quando é admitido, o colaborador já sabe exatamente o que precisa entregar na função que ocupa. Caso queira ser promovido e ascender na carreira, ele também tem a clareza sobre o que deverá ser feito para isso.

 

Dessa forma, cada profissional sabe quais são as competências que precisa ter para conseguir assumir determinadas responsabilidades.

 


Quais são os desafios de implementar a gestão por competência?

 

Apesar de ser um modelo extremamente benéfico, como já vimos, a gestão focada em competência pode ocasionar uma série de desafios na hora da sua implementação. Sendo assim, é importante realizar uma análise completa do custo-benefício de adotar essa metodologia.

 

É preciso estabelecer uma comunicação direta e transparente com os outros departamentos sobre a importância dessa transição, explicando por que ela é tão importante para o negócio e que benefícios poderá trazer (tanto para a empresa quanto para as equipes), entre outros aspectos que ajudarão as pessoas a se engajar nessa mudança.

 

Além disso, é necessário identificar quais competências são indispensáveis para o seu negócio. Só assim será possível montar uma boa estratégia de avaliação para entender se a equipe está ou não alinhada a essas competências, e no que é preciso melhorar.

 

Para que seja um processo sustentável, a implementação da gestão por competência precisa ainda estar alinhada com as metas da empresa. Logo, será necessário direcionar investimentos específicos para essa transição, incluindo o desenvolvimento dos colaboradores e outras medidas cabíveis.

 


Qual é o papel do gestor nesse processo?

 

Depois de tudo o que foi apresentado aqui, você deve estar se perguntando: qual é o papel do gestor nesse processo?

 

Bom, o primeiro aspecto a levar em conta é que o gestor deve, sim, estar preparado para convencer a sua equipe da importância deste tipo de gestão. Será preciso demonstrar que a gestão por competência é mais vantajosa do que o modelo já adotado na empresa — isso é essencial para que haja o engajamento do time com as mudanças propostas tanto pelo gestor quanto pelo setor, de maneira geral. Existem, porém, ainda outros fatores que devem ser considerados.

 

Quando se prioriza a competência do time de trabalho, o passo inicial do gestor é buscar esse conjunto de conhecimentos, atitudes e habilidades que são compatíveis com o que a empresa espera de cada função. O resultado, nesse caso, é consequência do aperfeiçoamento da equipe, e não o contrário. Esta deve ser a mentalidade do gestor: comunicar ao seu time sobre a gestão de competências e tudo que ela compreende.

 

Além disso, a qualificação dos profissionais acaba se tornando uma das suas prioridades. A maior parte do seu tempo é ocupada pela construção de estratégias de diagnóstico, análise, avaliação e planos de ação para tornar a sua equipe de alta performance. Assim, no final do processo, o gestor consegue ter a certeza de que ser o seu time é capaz de cumprir suas metas e objetivos.

 

Enfim, gostou da leitura? Agora que você já entende o que é a gestão por competência, que tal continuar aprimorando o seu conhecimento? Assine a nossa newsletter e receba todos os nossos próximos conteúdos diretamente na sua caixa de entrada!