Saiba como estruturar uma política de diversidade e inclusão!

Estruturar uma política de diversidade e inclusão na sua empresa é fundamental para garantir mais criatividade e inovação. Saiba mais neste artigo que preparamos para você!


Empresas de alto rendimento já perceberam que promover uma política de diversidade e inclusão é fundamental para garantir diferenciais competitivos e proporcionar a inovação dentro da companhia.

 

Nesse cenário, a inclusão de diversas etnias, credos, gêneros, classes sociais e raças é fundamental para o sucesso das atividades do negócio — em especial com a contratação de mulheres negras, já que no Brasil não é possível fazer uma estratégia de diversidade e inclusão sem considerar os afro-brasileiros.

 

Essas contratações possibilitam uma mudança de mindset na empresa, o que favorece a formação de uma cultura organizacional voltada para a inovação. Ao longo desta leitura, explicaremos para você como estruturar uma política de diversidade e inclusão na sua companhia. Confira!

 

Avalie a empresa

 

O primeiro passo para estruturar uma política de diversidade e inclusão é fazer um diagnóstico preciso e honesto a respeito da sua companhia. Qual é o momento atual da sua organização? Ela está preparada para ações de diversidade? Como as pessoas na empresa se portam diante desse cenário? Esses temas foram abordados em algum treinamento?

 

Outra ação fundamental é fazer a análise do quadro de pessoas e identificar pontos de diversidade — como um censo de diversidade, identificando se a empresa é diversa ou não. Quantas pessoas pretas existem na empresa? E quantas estão em cargo de gestão? Quantas pessoas LGBTQI+ existe na empresa?

 

Partindo dessa análise, é possível identificar e compreender os aspectos que podem ser trabalhados a fim de melhorar e criar ações pontuais, para então construir uma empresa mais diversa.

 

Estude a cultura organizacional

 

Para que a diversidade e a inclusão sejam de fato uma realidade na empresa, elas precisam estar no seu DNA. Isso significa que a companhia precisa incorporar esse conceito em sua missão, visão e valores, além de ter uma comunicação altamente alinhada com o discurso de diversidade e inclusão.

 

A corporação também deve adaptar a estrutura física e os processos, no caso de contratações de Pessoas com Deficiência (PCDs), com o propósito de possibilitar que esse(a)s colaboradore(a)s possam transitar pela companhia.

 

A adequação da estrutura, nesse caso, é primordial. Não adianta ter uma placa na sala de espera dizendo que a empresa valoriza a inclusão se o local, por exemplo, não possuir rampas de acesso e portas adaptadas para receber pessoas que necessitam de cadeiras de rodas. Logo, a inclusão e a diversidade devem ser realmente vividas pela empresa em todas as esferas, e não somente para fazer um bom marketing.

 

Envolva a liderança da companhia

 

Para aumentar as chances de sucesso nas políticas de inclusão, é fundamental que a alta liderança da empresa esteja engajada nesse propósito. Com isso, e possível fazer o cascateamento das informações para o(a)s demais gestore(a)s, até que as políticas de diversidade e inclusão cheguem à base da pirâmide organizacional.

 

Além disso, o comprometimento da alta liderança é fundamental para a sustentação desses valores e propósitos, aumentando as chances de sucesso das ações.

 

Implemente melhorias na comunicação interna

 

Para que as ações de diversidade e inclusão sejam vivenciadas por todos dentro da organização, é essencial investir em uma eficiente política de comunicação interna. Nesse sentido, as veiculações em jornais internos, intranet, murais, e-mails e outros canais são fundamentais para ajudar a consolidar a política.

 

Assim, é necessário fazer o compartilhamento das informações e das metas acerca das atividades envolvendo o projeto de diversidade e inclusão, engajando toda a equipe e aumentando as probabilidades de êxito na implementação.

 

Adapte os processos seletivos

 

Para efetivamente implantar as políticas de diversidade e inclusão na sua empresa, os processos seletivos devem ser adaptados. Além de incluir PCDs, pessoas de diversos credos, religiões, gêneros e posicionamentos políticos, bem como de várias regiões do país e do mundo, é preciso adaptar os processos seletivos, desde a divulgação da vaga, revisando a forma como a vaga está sendo divulgada.

 

E não adianta esperar passivamente, às vezes é necessário ir atrás das pessoas que deseja para sua empresa, divulgando vagas afirmativas, por exemplo, em sites.

 

Vale ressaltar que os processos seletivos devem transcorrer com isenção, a fim de se contratar os melhores talentos, dentro do escopo da vaga e alinhados com a política de inclusão e diversidade da empresa.

 

Promova a escuta contínua

 

Para aumentar a eficiência da política de diversidade, é preciso acompanhar as pessoas na sua empresa. Todas se sentem incluídas e consideradas? Existem ações discriminatórias na sua empresa?

Também é necessário fazer uma análise do ciclo de experiência do(a) colaborador(a) e do ciclo de permanência das pessoas na empresa. Com isso, é possível fazer, por exemplo, análises de índices de rotatividade, promoções, remunerações, etc.

 

Assim, você terá dados que possibilitarão uma visão ampla dos departamentos da empresa, identificando quais precisarão de planos de ação, para combate à desigualdades na organização. Logo, a escuta contínua possibilita que o seu programa de diversidade seja muito mais assertivo.

 

Faça o gerenciamento das habilidades individuais

 

Uma das principais vantagens de uma cultura organizacional voltada para a diversidade é que a empresa começa a valorizar as diferenças, sendo uma possibilidade de aprendizado concedido às organizações sob diferentes perspectivas.

 

Nesse sentido, é muito bom convidar seus times para refletirem acerca das próprias preferências, preconceitos e, em especial, sobre a capacidade de ouvir opiniões diversas. Outra ação interessante é propor questionamentos a respeito da vontade de colaborar com projetos fora da zona de conforto, fazendo a adaptação do próprio estilo de trabalho em benefício de causas maiores.

 

Desenvolva políticas de RH inclusivas

 

É indispensável que o setor de Recursos Humanos da empresa detenha habilidades e conhecimentos para promover políticas inclusivas — ou seja, que valorizem todas as pessoas, sem distinção. É importante, portanto, saber lidar com conflitos e direcionar as seleções livres e sem prejulgamentos, considerando isso nos processos de recrutamento.

 

Criar políticas de crescimento na empresa, envolvendo as políticas de cargos e salários, também é muito significativo. Você pode adaptar a realidade da empresa para que as ações de diversidade e inclusão também estejam presentes nos cargos de liderança.

 

Como vimos ao longo desta leitura, estruturar uma política de diversidade e inclusão é possível com um bom planejamento e, para isso, você pode fazer uso dessas dicas.

 

Comece ouvindo seus times e saiba se sua empresa é vista como um local diverso e inclusivo. Conheça a nossa pesquisa de diversidade e inclusão, de forma gratuita!