Insights

O melhor sobre Gestão de Pessoas, People Analytics e Experiência do Colaborador.

Saiba como acompanhar os 5 principais indicadores de RH

Os indicadores de RH ajudam a monitorar e a entender diversos aspectos importantes para a empresa, fornecendo dados para mudanças e decisões. Conheça os principais deles neste post!


Indicadores de RH são fundamentais para o acompanhamento e o desenvolvimento de qualquer negócio atualmente — seja uma pequena empresa, média ou grande.

 

Para aproveitar essa possibilidade ao máximo, no entanto, é preciso entender um pouco sobre cada indicador. Então, com base nessas informações, você poderá escolher os mais adequados para iniciar o acompanhamento, priorizando aqueles que trazem informações relevantes para a sua cultura.

 

Pensando em te ajudar, separamos aqui os 5 principais indicadores de RH. Continue lendo e confira como acompanhar e implementar!

 

Qual é a importância dos indicadores de RH?

 

Só é possível melhorar o que você consegue medir. Afinal, como aumentar o desempenho da empresa se ninguém sabe, ao certo, o quanto ela produz e lucra? Pois o mesmo raciocínio pode ser aplicado dentro do RH.

 

Esse setor tem um foco especial na gestão de talentos, preocupando-se com aspectos como o engajamento dos colaboradores, faltas e absenteísmo, produtividade, entre outros. É a partir desses indicadores que é possível entender a realidade do quadro de trabalhadores atual, prever tendências e mudanças, propor treinamentos e ações capazes de trazer melhorias para a empresa.

 

Quais são os indicadores mais importantes?

 

A seguir, listamos as métricas que você precisa conhecer, mesmo que não vá implantá-las neste momento na empresa. Saber o que eles medem e como acompanhá-los é essencial para entender como funciona a gestão de pessoas. Confira!

 

1. Absenteísmo

 

O absenteísmo mede as faltas e atrasos dos colaboradores, ainda que justificadas com atestado médico. Quando esse indicador é muito alto, pode indicar uma desmotivação dos profissionais — o que, cedo ou tarde, provocará impactos na produtividade.

 

Mesmo que sejam realmente provocados por doenças, os afastamentos devem ser observados. Afinal, um ambiente laboral negativo também gera problemas de saúde, como estresse, síndrome de burnout, esgotamento, entre outros. Então, se houver uma incidência alta de atestados alegando causas ligadas a problemas emocionais ou ao excesso de trabalho, é importante fazer uma cuidadosa avaliação interna.

 

2. Turnover

 

Também conhecido como taxa de rotatividade, esse índice indica o número de desligamentos que ocorreu em determinado período, seja por iniciativa do funcionário, seja da empresa.

 

Quando esses números são altos, podem ser encarados como um sintoma de problemas na relação entre trabalhadores e empresa. Por isso, é muito importante acompanhar e procurar entender o que está motivando os desligamentos.

 

Outro ponto importante relacionado ao turnover é a sua ligação com a imagem da organização como marca empregadora, ou employer branding. Empresas que apresentam alta rotatividade são malvistas no mercado e tendem a repelir os profissionais mais bem preparados.

 

3. Retenção de talentos

 

Na contramão do turnover, temos a retenção de talentos. Esse índice mostra a porcentagem de colaboradores que permanecem trabalhando para a empresa, passando longos períodos ou até construindo uma carreira no mesmo lugar.

 

Uma boa retenção de talentos deve ser objetivo de qualquer corporação, pois mostra que os profissionais estão, realmente, engajados e enxergam possibilidades de crescimento. Também, mostra que a empresa consegue proteger a sua inteligência, sem perdê-la para a concorrência quando o colaborador é desligado.

 

4. Satisfação dos colaboradores

 

De modo geral, trabalhadores satisfeitos trabalham melhor, propõem mais soluções, envolvem-se de maneira ativa nos processos internos e sentem-se bem com as suas equipes e liderança.

 

É claro, nem sempre é possível alcançar esse nível de satisfação total. Pense, porém, que quanto mais felizes os trabalhadores estiverem melhores serão os resultados para a sua empresa. Então, ao notar certo clima hostil, é importante que o RH entenda o que está motivando esse descontentamento e quais ações podem ser tomadas para eliminá-lo ou, ao menos, diminuí-lo.

 

5. Produtividade

 

Talvez você não tenha percebido nenhum sinal marcante de infelicidade com o trabalho, mas venha notando uma queda brusca na produtividade. Sim, esse é um indicador importante — e não só pelo seu impacto no faturamento, mas porque pode mostrar um problema mais sério, que ainda não veio à tona.

 

Caso os seus colaboradores estejam produzindo bem menos, é hora de avaliar se as condições estão adequadas, se a tecnologia de que precisam é disponibilizada, como está o relacionamento com a liderança, ou mesmo se algum boato está provocado a desmotivação.

 

Como a pesquisa de clima organizacional afeta esses indicadores?

 

O clima organizacional tem uma ligação direta com os indicadores que citamos até aqui. Isso porque ele reflete a percepção dos colaboradores sobre a empresa e as condições de trabalho, mostrando o seu grau de satisfação com o atual emprego. Nesse sentido, pesquisas de clima indicam para os gestores e para a empresas os pontos de atenção, para poderem agir antes de impactar na produtividade e na perda de talentos.

 

Quando o clima organizacional é positivo e há uma preocupação genuína da empresa em reconhecer e motivar os seus profissionais, a consequência é uma melhora nos indicadores apresentados. Há ainda outros fatores que causam impacto nessas métricas, como uma liderança empática e inspiradora, treinamentos, bons benefícios… E tudo isso é possível de ser levantado nas pesquisas de clima.

 

Uma ferramenta bem interessante para isso é a escuta contínua dos colaboradores, que coleta constantemente dados sobre a percepção da empresa pelo trabalhador. Assim, ao invés de levantar a percepção dos colaboradores uma vez ao ano, como ocorre nas pesquisas de clima tradicionais, a escuta contínua permite acompanhar as pequenas mudanças de percepção, dia a dia.

 

O ideal é que essa estratégia permita a organização e visualização de dados de maneira rápida e precisa, com a ajuda de dashboards que facilitem a compreensão das informações auferidas.

 

Enfim, definir bons indicadores de RH é fundamental. É preciso, no entanto, fazer uma avaliação cuidadosa, entendendo as necessidades e particularidades do seu negócio e como elas impactam a sua organização, para escolher os mais coerentes com ela.

 

Então, se você quer adotar um software capaz de te ajudar nisso, que tal conhecer a solução da Pulse? Ela é bem completa e acompanha diversos indicadores importantes, permitindo ainda a mensuração do clima organizacional e a aplicação de pesquisas. Entre em contato conosco e peça uma demonstração!