Home » Blog » Feedback » 6 exemplos de feedback escrito e dicas do que evitar
Compartilhe

6 exemplos de feedback escrito e dicas do que evitar

Foto de Renato Navas, Especialista Pulses em People Sucess
Por Renato Navas 12 min leitura

Saiba como escrever feedbacks positivos e construtivos, confira exemplos e dicas para evitar erros

Veja exemplos de feedback escrito e entenda como saber escrevê-lo é essencial para sua compreensão e para um bom recebimento entre quem oferece e quem recebe. Pensando nisso, preparamos 6 exemplos de feedback escrito para ilustrar o quanto ele é importante.

Por isso, queremos propor uma imersão no tema. Vamos, juntos, ver dicas sobre o que fazer e também o que evitar ao tomar esse tipo de ação.

Então, fique com a Pulses até o fim deste artigo e saiba como aprimorar essa prática na gestão da sua empresa!

Duas pessoas conversando dentro de balões de diálogos para mostrar como acontece o feedback 360

6 exemplos de feedback escrito corretamente

Se você sabe o que é feedback, sabe que eles são instrumentos poderosos para a evolução pessoal e profissional no ambiente de trabalho.

Por isso, conheça alguns casos que podem ser usados como referência nas suas relações profissionais, na sua gestão de pessoas e no desenvolvimento das lideranças da sua equipe!

Vale lembrar: todos devem seguir a estrutura base de qualquer feedback!

Um comportamento ou atitude usado como foco + O impacto gerado por esse episódio + Percepção sobre esse fato

ilustração de três pessoas montando um quebra cabeça representando os exemplos de feedback escrito

Teremos a ajuda de alguns personagens:

  • Flávio e Beatriz, colaboradores do time de vendas;
  • Eduarda, colaboradora de pré-vendas;
  • Márcia, gestora de vendas e pré-vendas há cinco meses.

Depois das devidas apresentações, vamos partir, agora, para a suposição de algumas situações comuns para demonstrarmos exemplos de feedback escrito entre os integrantes da equipe. 

3 exemplos de feedback escrito positivo

Esse é aquele feedback que chega para reforçar um comportamento alinhado às expectativas da equipe e da empresa. 

Você sabia que, em uma pesquisa realizada com 120 mil funcionários, a Pulses descobriu que o feedback positivo pode aumentar o engajamento em até 2,4 vezes

É claro que isso só pode ser alcançado quando o feedback é construído da maneira correta, conforme você pode ver abaixo:

1 O reconhecimento de uma conquista

Recentemente, Flávio conseguiu fechar uma venda expressiva, na qual ele vinha trabalhando há sete meses (antes mesmo da chegada de Márcia para a liderança). 

Márcia acessou a funcionalidade de feedbacks contínuos na ferramenta contratada pela empresa e cadastrou a seguinte mensagem:

“Flávio, gostaria de te parabenizar pela venda realizada hoje! Quando me tornei líder do time, me lembro de que você comentou sobre esse processo. Sabemos que essa demora é cansativa, mas a sua garra e otimismo foram indispensáveis para essa conquista! Continue assim! Você se sentiria à vontade para compartilhar os aprendizados com o time?”

2 Postura colaborativa

Durante o processo da venda, Flávio contou com uma grande ajuda da colega Eduarda. Sabendo do potencial da negociação, Eduarda estruturou planos e ideias para Flávio, que estava sobrecarregado com o andamento de outro projeto no início dos contatos com o cliente em questão.

Foi a vez, então, de Flávio deixar registrado um feedback escrito para Eduarda:

“Oi, Eduarda! Consegui conquistar aquele cliente para o qual você me ajudou a elaborar uma ótima estratégia há alguns meses, enquanto eu estava me dedicando a outra demanda. Você se lembra? Quero te agradecer, pois sua ajuda foi indispensável para que a venda desse certo! Conte comigo sempre que precisar!”

3 Novas responsabilidades

Desde a chegada ao time de vendas, Márcia foi transparente com a equipe e explicou que aquela seria sua primeira experiência como gestora. Passados cinco meses, Beatriz se lembrou disso e acreditou que seria importante dar um feedback positivo à nova líder.

“Márcia, desde que você assumiu a responsabilidade da liderança do nosso time, notei algumas mudanças para melhor. Nossas atividades estão mais organizadas e sei exatamente o que preciso fazer para bater minha meta até o fim deste mês. Também gostei muito do que você nos ensinou sobre técnicas de vendas na semana passada! Obrigada!”

3 exemplos de feedback escrito construtivo

O uso do feedback construtivo deve ser feito quando a pessoa colaboradora demonstra atitudes desalinhadas ao que é esperado dela. Isso não é ruim, nem incomum. É natural que ajustes devam ser realizados ao longo da convivência.

Ter cuidado e saber expor bem as opiniões é essencial para o entendimento de possibilidades de evolução profissional. Feedbacks podem embasar práticas de feedforward e criação de Planos de Desenvolvimento Individual (PDIs).

Mais uma vez, nossos personagens poderão ilustrar melhor isso nos exemplos de feedback escrito a seguir!

1 Quando um erro acontece

Beatriz identificou um erro de processo nos indicadores de pré-vendas e vendas. Ao investigar melhor, ela percebeu que o preenchimento de uma planilha de resultados estava com algumas semanas de atraso na parte que cabia ao Flávio. 

Ela precisou corrigir tudo sozinha para garantir que a reunião pudesse acontecer no dia seguinte. Como já havia alertado Flávio sobre esse risco, decidiu redigir um feedback:

“Oi, Flávio. Não encontrei os seus dados na planilha para a reunião de amanhã e precisei buscar os números para atualizar as informações. Acabei ficando até mais tarde e, se abríssemos o arquivo original durante o encontro, não conseguiríamos prosseguir com os alinhamentos. Seria importante dedicarmos mais atenção a essa planilha daqui para frente. Você acredita que precisamos mudar algo? Tem alguma ideia diferente sobre o que podemos fazer para que isso não aconteça mais? Estou à disposição para conversarmos.”

2 Quando uma atitude leva a um resultado negativo

No dia a dia, não estamos livres de ações que, por ora, podem ocasionar consequências não tão boas ao nosso time. 

Márcia precisou dar um feedback construtivo sobre esse aspecto ao Flávio, uma semana depois daquela venda importante que usamos como exemplo há alguns parágrafos.

Mulher preenchendo um checklist com um grande lápis na mão

Note que o fato de ter repassado um feedback positivo não deve ser um impeditivo para que outras percepções sejam compartilhadas. 

O ideal é justamente o contrário: o feedback será mais eficaz se for realizado próximo ao acontecimento. Quanto mais tempo passar, menos sentido a mensagem terá. 

Então, vamos ver como foi o feedback construtivo escrito pela Márcia:

“Flávio, preciso de um minuto da sua atenção para fazermos um acordo. Recebi um e-mail de um cliente que relatou ter desistido de receber nossa proposta porque você não o respondia já há alguns dias. Queria entender melhor o que aconteceu, pois essa é uma atitude que precisamos evitar. Caso você esteja se sentindo sobrecarregado, me avise! Vamos conversar para dividirmos melhor as demandas ou entendermos juntos o que podemos fazer. Podemos combinar assim?”

3. Feedback construtivo para líderes

Líderes precisam — e devem pedir — feedbacks aos liderados. É importante que equipes de RH desenvolvam essa mentalidade entre os gestores. Quando esse espaço é anunciado pela liderança, colaboradores tendem a se sentir mais à vontade para compartilhar sua visão.

Foi o caso da Beatriz, que notou um ponto de melhoria no cumprimento de horários da Márcia:

“Márcia, você tem sido uma ótima líder e já escrevi sobre isso em outro feedback. Queria agora te falar sobre uma questão que tem se repetido e que atrapalha nossos momentos de troca entre time e gestora. Nas três últimas reuniões, você chegou atrasada e tivemos pouco tempo para conversar sobre fatos importantes da equipe. Seria muito bom se você conseguisse estar conosco desde o início dos encontros!”

Boas práticas para escrever um feedback

Em todos os casos acima, seja em feedbacks positivos ou em feedbacks construtivos, podemos notar características comuns relacionadas a boas práticas, como:

  1. Todos possuem relatos sobre fatos recentes, escritos assim que a evidência aconteceu;
  2. A linguagem utilizada é objetiva e vai direto ao ponto, sem rodeios ou considerações muito longas;
  3. Os textos têm traços de empatia e de disponibilidade, isto é, as pessoas interlocutoras se ofereceram para comemorar conquistas ou para ajudar a buscar alternativas reparadoras colaborativamente;
  4. São descrições de exemplos reais;
  5. Nenhum julgamento ou ressentimento sobre os fatos apontados foi feito;
  6. Os textos usaram discurso direto, sem envolver terceiras pessoas nas ocasiões citadas.

O que evitar em um feedback escrito

Para exemplificarmos o que evitar ao escrever um feedback, agrupamos abaixo casos de duas práticas a serem excluídas de um bom repertório. E isso independe da forma como o feedback for repassado, seja por escrito ou “olho no olho”.

Feedback insignificante

Chamamos de feedback insignificante aquele que não apresenta uma estrutura consistente. Lembra-se do que falamos sobre a necessidade de ter um objetivo, evidenciar um fato, expor o impacto e, em seguida, concluir a linha de raciocínio com sugestões?

Pois bem, o feedback insignificante não cumpre essa premissa, como podemos ver nos exemplos abaixo:

  1. Você está de parabéns!
  2. Acho que você ainda pode melhorar. 
  3. Acho que não concordo com a forma como você se expôs na reunião.

Todas as expressões acima dão margem para novas perguntas: 

  1. Por que estou de parabéns?
  2. O que pode ser melhorado?
  3. Qual foi a maneira como me expus na reunião?

Bons exemplos de feedback escrito entregariam todas essas respostas de uma só vez, com mais detalhes e mais cuidado — como vimos nos exemplos anteriores. A ideia é que a mensagem seja transmitida de uma só vez do interlocutor ao receptor. 

Feedback destrutivo

O feedback destrutivo é ainda mais desaconselhável. Ele ocorre quando o depoimento vem acompanhado de expressões inadequadas, por vezes até ofensivas:

  1. Notei na apresentação de hoje que você não sabe falar em público e que precisa melhorar isso.
  2. Você parecia estar com preguiça de participar da dinâmica hoje pela manhã.
  3. Sua conduta foi irresponsável diante do time durante a atividade. 

Podemos observar que um feedback destrutivo faz uso de palavras desagregadoras e não proporcionam um cenário respeitoso para a busca de soluções e melhorias. 

Pelo contrário: esse tipo de exemplo de feedback escrito pode ocasionar bloqueios e atrapalhar tanto as relações interpessoais quanto o desenvolvimento das pessoas do time. 

Por esse motivo, é imprescindível orientar a forma como o feedback é incorporado à cultura da empresa para conduzir a gestão aos resultados desejados!

Quando e como dar feedback?

Os feedbacks devem ser realizados sempre que houver a intenção de avaliar um comportamento profissional e ajudar a outra pessoa a se desenvolver. 

Ou seja: o feedback é a troca de opiniões entre líderes e liderados ou pares de colegas sobre atitudes cotidianas. Porém, as coisas não são tão simples quanto parecem. Muitas pessoas encaram o feedback como um momento difícil. 

A autora Scheila Heen, por exemplo, expõe no livro Obrigado pelo feedback a teoria de que o cérebro humano interpreta críticas como uma ameaça à nossa sobrevivência.

Outro ponto descrito por Heen diz respeito à confusão que fazemos entre um comportamento e a nossa identidade. Muitas vezes, encaramos um feedback como algo generalizado — especialmente quando se referem a pontos de melhoria. 

Por isso, o entendimento de técnicas para trabalhar melhor esses pontos mantém o equilíbrio nas relações corporativas. Feedbacks bem praticados podem aumentar os resultados de performance, melhorar o clima organizacional e promover a evolução da equipe. 

Melhor maneira de entregar um feedback

A entrega de um feedback pode ser determinante sobre os efeitos que ele pode causar. A recomendação é que ele tenha um objetivo e esse momento transcorra de forma reservada (durante um 1:1, ou one-on-one, por exemplo). 

Com exceção de técnicas como o feedback 360º — que inclui outros parâmetros e características para uma reunião de feedback —, peça ou forneça um feedback a outra pessoa em conversas particulares. 

É por essa razão que o feedback por escrito tem bom potencial para alcançar os objetivos a que se propõe. 

Vantagens de um feedback por texto

A escrita nos ajuda a organizar sentimentos. Mesmo que você escolha fazer um feedback presencialmente, pode ser uma ótima ideia colocar tudo no papel antes de tudo!

Isso promove uma análise crítica capaz de melhorar a seleção das palavras, além de fazer com que o interlocutor se coloque no lugar do receptor ao escrever. Melhor ainda se o texto for lido em voz alta antes de ser entregue à outra pessoa!

O que você achou das dicas e exemplos deste artigo? Esperamos ter ajudado! Para complementar o tema, outro artigo interessante que você precisa conferir é sobre o conceito de antifragilidade na gestão. Acesse aqui para saber mais!

Duas pessoas conversando dentro de balões de diálogos, em referência ao feedback e ao engajamento

Renato Navas Renato Navas é Cofounder e Head de People Success da Pulses. Psicólogo, pós-graduado em Administração, especialista em Leitura e Manejo de Grupos, Executive Coaching & Leadership Mentoring, Análise Transacional e Team Coaching. Experiência de mais de 15 anos em programas de desenvolvimento de liderança e de RH. Professor de pós-graduação em Gestão de Pessoas.  linkedin.com/in/renato-navas-27888016/
O que você achou ?
Curti
Divertido
Adorei
Surpreso
Chateado

Obrigado pelo seu feedback!

Através dele conseguiremos melhorar cada vez mais a sua experiência.

Quer receber mais conteúdos incríveis?

Cadastre-se e receba semanalmente nossos conteúdos por e-mail!