Por Renato Navas
9 min leitura

Equipe engajada: passos para melhorar os indicadores da sua empresa

 

Projetos, objetivos e metas não podem ser cumpridos sem pessoas. Por isso, de nada adianta trabalhar rigorosamente em planejamentos sem contar com uma equipe engajada.

Mais de dois milhões de colaboradores de cerca de 110 mil unidades de negócio foram ouvidos pela Gallup a fim de se chegar a uma conclusão sobre a relação entre engajamento e resultados no mundo corporativo. A pesquisa, realizada em 96 países diferentes, gera um relatório atualizado anualmente.

Um dos índices demonstrou que empresas com alto nível de envolvimento dos funcionários têm 83% de chance de alcançar um desempenho acima da média frente a 17% daquelas com nível baixo de engajamento.

Além da produtividade, o engajamento influencia métricas relacionadas a:

  • Clientes (como lealdade);
  • Lucratividade;
  • Rotatividade;
  • Segurança no trabalho;
  • Absenteísmo;
  • Qualidade das entregas;
  • Clima organizacional;
  • Crescimento do negócio.

Então, prepare-se para descobrir neste artigo como o engajamento do time vai turbinar seus indicadores. Confira!

Equipe engajada

 

O que define uma equipe engajada

É importante mantermos um consenso sobre o que significa uma equipe engajada. Para isso, propomos um comparativo: tente imaginar que a sua empresa é uma banda. Você acredita que os colaboradores fariam fila para comprar ingressos de um show ou se dedicariam para garantirem lugar em frente ao palco durante uma apresentação?

Uma resposta positiva pode demonstrar que o seu time atual está, sim, engajado.

Engajamento propõe envolvimento, remete a identificação. É o que sentimos quando nos reconhecemos em uma causa, quando admiramos um grupo musical ou um time de futebol. Temos vontade de fazer parte das histórias e de acompanhar os passos de tudo que estiver relacionado a esses contextos.

Engajamento é, portanto, o comprometimento emocional e funcional das pessoas com a organização; resulta em atributos como entusiasmo, autonomia, inspiração e confiança.

E, atenção: uma equipe motivada não corresponde a uma equipe engajada. São conceitos diferentes. Como falamos acima, engajar significa cativar os colaboradores de forma cognitiva, enquanto a motivação pode surgir como algo momentâneo.

Pense na seguinte situação: um funcionário trabalha na empresa e não nutre nenhuma admiração pela história ou pelos valores da organização. Ao receber o convite para participar de um projeto novo, passa a se mostrar mais animado no dia a dia. Assim que o projeto é entregue, tudo volta a ser como era antes. Estamos falando de alguém que foi motivado, mas que não está engajado na sua rotina de trabalho.

Aliás, é uma situação muito comum. Estudos indicam que 87% dos trabalhadores do mundo inteiro não estão engajados, o que traz sérios obstáculos para o desenvolvimento de um negócio.

Uma das maiores consequências do desengajamento é o impacto direto no Employee Net Promoter Score, ou eNPS. A metodologia é usada para determinar o quanto um lugar é referência para se trabalhar.

Saiba mais:

NPS e eNPS

 

Pessoas desengajadas têm a probabilidade de se posicionarem como neutras sobre a empresa (estão dispostas a trocarem de trabalho a qualquer momento) ou detratoras (além de estarem abertas a outras oportunidades de mercado, podem disseminar o sentimento de insatisfação dentro do time).

É claro que uma equipe de RH com a pretensão de transformar a empresa em um dos melhores lugares para se trabalhar quer conquistar um número cada vez maior de promotores, certo? Por isso, vamos ao próximo tópico deste artigo para valorizarmos o eNPS do seu negócio!

 

Fatores propulsores da cultura de engajamento

Para assegurar níveis altos de engajamento, é necessário levar em consideração cinco esferas de convívio presentes nas relações de trabalho. Aspectos pessoais, profissionais e corporativos formam um conjunto que precisa de harmonia quando o RH tem como objetivo estabelecer uma cultura de engajamento:

Esfera individual

Personalidade, mindset, expectativas profissionais, hábitos e comportamentos. São fatores que devem ser observados em processos seletivos com grandes chances de antecipar o quanto uma pessoa pode ou não ter compatibilidade com a equipe e com o negócio;

Esfera do trabalho

Descrição da função, responsabilidades, bem-estar, segurança para expor opiniões, recursos disponíveis para o desempenho das atividades e interação com outros times;

Esfera da liderança

Este fator resume a relação entre líder e liderado, isto é, prática e abertura para feedbacks, senioridade, liderança participativa, confiança, reconhecimento, alinhamento, suporte, respeito e imparcialidade;

Esfera da empresa

Propósito, histórico, cultura organizacional, políticas, processos e valores do negócio são aspectos que precisam ser constantemente reforçados e com grande potencial de influência sobre o engajamento dos colaboradores;

Esfera da equipe

Relações interpessoais, prática e abertura para feedbacks, relevância de projetos, clareza de metas e objetivos, senso de justiça e trocas construtivas fazem parte deste contexto.

Diante de tantos fatores a serem analisados, a conclusão é de um cenário complexo. Engajamento depende de atenção contínua, desde a seleção dos profissionais – como comentamos acima – passando pelo dia a dia da empresa até a manutenção constante da cultura organizacional.

É por essas e outras que o olhar do RH faz toda diferença para proposição e monitoramento de ações conjuntas, integradas e coerentes, seja apenas com as lideranças, seja com todas as pessoas da corporação.

 

Equipe engajada é sinônimo de excelência nos resultados

Por que, afinal, uma equipe engajada é tão recompensadora? É comprovado, por exemplo, o aumento de 10% na retenção de clientes, de 22% na produtividade e de 21% na lucratividade.

É uma conta fácil de fechar! Quando falamos em pessoas com alto nível de engajamento, nos referimos a colaboradores cada vez mais proativos e comprometidos com as tarefas a serem desempenhadas. A vontade de evoluir profissionalmente é notável; os profissionais procuram cursos, eventos e tomam iniciativas com a intenção de se aperfeiçoarem.

Também estamos nos referindo a equipes mais participativas, que favorecem pequenas e grandes inovações. Colaboradores engajados têm a intenção de melhorar cada vez mais a rotina de trabalho, atuando inclusive de forma solícita e prestativa quando algum problema acontece.

Por fim, uma pessoa engajada com a empresa faz o que está ao seu alcance para cuidar da empresa como se fosse sua. Será um colaborador que vai evitar gastos excessivos, vai tomar atitudes além do seu papel como funcionário e terá comportamento de cidadania, pronto para ajudar a organização no que for preciso.

Depois de compreender o conceito e de saber quais são as vantagens de uma equipe engajada, preparamos algumas dicas para auxiliar seu time de RH e lideranças com o assunto.

 

Sugestões práticas para manter a equipe engajada e melhorar os indicadores

Em condições tão voláteis quanto as trazidas pela pandemia, engajar pessoas é um desafio cada vez maior. O RH teve que lidar com mudanças aceleradas, ter agilidade para contratar, desligar, gerenciar e desenvolver talentos remotamente. É justamente em momentos como esse que o engajamento não pode ser deixado de lado, e isso significa agir estrategicamente.

Um relatório publicado pela Harvard Business Review mostrou que a aposta da vez para manter equipes engajadas é aprimorar comunicação, informação e tecnologias, sem se esquecer do alinhamento constante de qualquer novidade à cultura e propósito do negócio.

Quando perguntados sobre iniciativas tomadas recentemente ou planejadas para melhorar o engajamento dos funcionários, 23% dos entrevistados citaram a contratação de novos aplicativos ou softwares, 35% afirmam estarem focados na melhoria da disponibilidade de informações necessárias para as atividades e tomadas de decisão e 31% estão buscando aperfeiçoar processos.

 

Passo a passo para construir uma cultura do engajamento

Tendo como pano de fundo a transformação acelerada do mercado atual e esses três pilares (comunicação, informação e tecnologias), descrevemos um passo a passo para manter a equipe engajada e melhorar os indicadores da sua empresa, alavancando o eNPS. Vamos lá?

1 – Analise se há uma definição clara sobre o que de fato se pretende repassar com a identidade da organização. A história, o pano de fundo e as suposições básicas da cultura estão alinhadas às políticas e processos do negócio? Talvez, os próprios CEOs não tenham clareza sobre o que é importante transmitir com a cultura organizacional. Portanto, faça essa validação.

2 – A estratégia da empresa está na ponta da língua da área de RH e das lideranças? É uma reflexão fundamental para esclarecer prioridades e quais são os pontos de engajamento merecedores de mais dedicação no momento.

3 – Tenha conhecimento de qual é a percepção dos colaboradores sobre a cultura da organização. Será que a mensagem dos fundadores e do RH está chegando claramente e de forma explícita à ponta das operações? Vale investigar – e ouvir as pessoas acerca do tema é o melhor caminho para essa descoberta!

4 – Faça pesquisas contínuas. O RH e as lideranças precisam ter visão dos fatores que impactam o engajamento e de que forma isso está coerente ou não com as expectativas do negócio. Sem isso, tudo pode ser em vão com ações desconectadas da realidade. É essencial entender se o que está sendo feito é relevante para a equipe.

5 – Quando tiver os relatórios das pesquisas em mãos, não demore para agir. Os resultados não vão mudar se nada for proposto. Ao detectar pontos críticos e de melhoria, busque exemplos semelhantes no mercado, converse com profissionais do RH de outras empresas, acione uma consultoria, dialogue com os líderes da organização, planeje e coloque ideias em prática.

6 – Para proporcionar satisfação, fortalecer a cultura e manter um clima organizacional positivo com pessoas engajadas, tenha em mente que estamos falando de algo fluido. O engajamento não pode ser visto como uma conquista definitiva. Pelo contrário! Exige manutenção e pode passar por alterações de acordo com as mudanças. Atenção constante e novas pesquisas realizadas com frequência vão auxiliar o RH nesta missão.

Agora, é só executar! Crie uma cultura de engajamento forte, capaz de ser levada à frente de forma inconsciente por padrões de comportamentos dos colaboradores. Esse é um ponto capaz de revolucionar os resultados no mundo corporativo e fazer total diferença para o sucesso do time e da organização.

Para finalizar e tornar essa leitura ainda mais completa, queremos te sugerir um eBook com tudo o que você precisa saber sobre cultura de engajamento! Dedique mais alguns minutinhos do seu dia para saber como construir uma cultura de engajamento:

Construindo uma Cultura de Engajamento

O que você achou ?
Curti
Divertido
Adorei
Surpreso
Chateado

Obrigado pelo seu feedback!

Através dele conseguiremos melhorar cada vez mais a sua experiência.
Compartilhe

Quer receber mais conteúdos incríveis?

Cadastre-se e receba semanalmente nossos conteúdos por e-mail!