Home » Blog » Blog » Employer branding: o que é e como aplicar na sua empresa
Compartilhe

Employer branding: o que é e como aplicar na sua empresa

Por Michelly Dellecave 11 min leitura

Conheça o conceito de marca empregadora e confira nossas dicas para colocar em prática no seu negócio

É comum que empresas se dediquem ao engajamento das suas equipes, por entender que esse cuidado surte efeitos positivos também na relação com seus clientes. Colocar em prática a employer brading, ou marca empregadora, traz inúmeras vantagens ao seu negócio. 

E, sim! Essa é uma estratégia que cabe ao time de Recursos Humanos, para que possa ser implementada com sincronicidade e harmonia dentro da organização.

Junto às lideranças, é possível potencializar as mensagens e características da marca, a fim de instituir um trabalho alinhado às metas do negócio. Além disso, a equipe de marketing é outra aliada importante nessa missão.

O objetivo deste artigo vai além de apenas apresentar o conceito de marca empregadora. Falaremos ainda sobre os resultados que podem ser proporcionados pelo fortalecimento da sua marca e sobre iniciativas que vão te auxiliar nesse caminho. Confira!

Pessoas confeccionando o nome "brand" com lápis, régua, pincel, escada, em referência a construção da employer branding

O que é employer branding?

O conceito  pode ser definido por maneiras de construir uma marca empregadora, a fim de despertar nas pessoas a vontade de trabalhar em determinado lugar. Ela é uma ferramenta importante na atração e retenção de talentos para a empresa. 

Há diferentes conceitos a serem agregados na percepção final a respeito de uma empresa. Os candidatos geralmente buscam se informar sobre vários aspectos antes de se candidatarem a uma vaga de emprego ou aceitarem uma proposta.

Por exemplo: o propósito da sua marca fica, de alguma forma, claro para quem ainda não a conhece? Qual é seu impacto social? O quanto ela se mostra preocupada com o bem-estar das pessoas?

Ter respostas claras sobre essas perguntas e, mais do que isso, conseguir chegar ao ponto de mostrá-las de forma natural ao público externo, é o resultado alcançado por ações eficientes de employer branding. 

Ah! Só não o confunda com endomarketing! Um reforça o outro, porém, são conceitos diferentes. 

Investir na construção e fortalecimento da marca empregadora tem como finalidade trabalhar a imagem da empresa para o mercado. Enquanto o endomarketing é focado totalmente na promoção da empresa para os colaboradores. 

Agora vamos, então, compreender os motivos que fazem uma marca ter tanta relevância e potencial para geração de negócios.

Por que é importante fortalecer a marca empregadora

Quando reconhecido como marca empregadora, o negócio ganha força e passa a ser valorizado por proporcionar experiências, e não somente por oferecer oportunidades de trabalho. 

Uma marca bem construída passa a acompanhar o colaborador, inclusive, em caso de mudanças na carreira. Afinal, boas vivências geral boas lembranças, e o fato de optar por outra chance de trabalho não significa que uma opinião positiva tenha se modificado. 

Trabalhar a reputação de uma empresa como um bom lugar para se trabalhar pode resultar em:

  • marketing espontâneo nas redes sociais;
  • reforço da identidade da marca diante do mercado;
  • processo seletivo mais transparente e adequado ao perfil da empresa;
  • melhor engajamento da equipe;
  • fortalecimento da cultura e dos valores.

O que vale aqui é compreender como gerar experiências a partir da sua organização, e não simplesmente obter um rótulo.

O que as estatísticas indicam sobre marcas empregadoras

Uma pesquisa realizada pela plataforma Employer Branding Brasil mostrou que 62% das empresas têm como prioridade melhorar a relação entre a marca e os funcionários. Para isso, o plano é investir mais na imagem da empresa enquanto marca empregadora. 

Não é pouco. O dado comprova a expressividade que esse tipo de estratégia possui diante de um cenário competitivo, refletidos em taxas altas de turnover

No caso do Brasil, o índice já apresentou grandes variações, como um aumento de 82% desde 2010, mantendo-se acima da média mundial, de 38%. Os dados são da Robert Half

Isso demonstra que as empresas têm grande rotatividade, e trocam praticamente todo o quadro de funcionários de tempos em tempos. Uma das medidas mais eficientes para reverter essa situação, portanto, é fazer com que a empresa seja um local de trabalho atrativo. 

É um detalhe que pode ser um diferencial, também, nos recrutamentos: segundo o Linkedin, uma marca forte chega a reduzir os gastos com processos seletivos em até 43%. 

Outra informação publicada pela rede de relacionamentos profissionais aponta que 96% dos candidatos pesquisam a reputação do potencial empregador antes de mudarem de emprego.

A gestão da marca como diferencial competitivo

A relação de consumo está se modificando e a reputação das marcas no mercado pode ter muito a ver com esse fator. 

70% dos entrevistados por uma apuração feita pelo State of the Connected Customer, em 16 países, revelaram que a confiabilidade da marca é um critério forte para fazer uma compra, e 65% dos consumidores já deixaram de comprar por falta de confiança. 

Identidade e posicionamento de marca são fatores de grande influência para trabalhar esse ponto. O primeiro diz respeito ao que a marca pretende ser, e a finalidade da gestão nesse sentido é fazer com que a visão das pessoas seja equivalente a essa meta. 

O segundo está relacionado ao impacto que a empresa vai causar na mente de um cliente ou de um potencial comprador. Ele tem a ver com classe, atributos, preço, concorrente, benefício, qualidade percebida, uso ou nível de tecnologia empregado no produto. 

A employer branding colabora para aumentar a expressividade de todos esses pontos unidos em uma gestão de marca completa, convergindo perfil da empresa, estilo com os colaboradores, identidade e posicionamento.

7 dicas para desenvolver a imagem da sua marca empregadora

Obter êxito com o marketing da marca depende de direcionamento, plano de ação e tempo. É um processo que precisa acontecer de forma natural e que, quando bem conduzido, deve ser constantemente revisado para assegurar que tudo siga de forma alinhada.

É necessário que haja, acima de qualquer coisa, autenticidade!

Pensando nisso, preparamos algumas sugestões para que você analise e entenda se vale praticá-las na sua gestão de RH. 

1 – Estabeleça pilares baseados nos valores da sua organização

A marca da sua empresa precisa ser sustentada por crenças e propósitos alinhados à visão e ao histórico da organização. Comunicar e pensar em maneiras de reforçar os pilares da empresa é um caminho com grandes chances de dar certo rumo à autenticidade que comentamos acima.

Quais são os valores da sua empresa? O que faz sentido para a sua marca e como isso é exposto à equipe nas rotinas de trabalho? Pense a respeito e exerça a criatividade para dar sentido a tudo isso na prática. 

2 – Pratique a comunicação interna com clareza e frequência

Compartilhar com os funcionários as informações sobre a organização, detalhar os diferentes momentos, instigar a inspiração dos colaboradores com narrativas sobre a empresa e reunir as lideranças nessa missão certamente serão iniciativas que surtirão efeitos positivos. 

Considere sempre a cultura organizacional como critério para entender como dar sequência a atividades dessa natureza.

3 – Planeje e promova ações de engajamento

Um happy hour — pode até ser online — ou um momento da semana em que os colaboradores possam interagir e trocar experiências sobre suas diferentes funções e projetos pode ser uma ação e tanto de engajamento! 

Em tempos de trabalho remoto, também vale o envio de um presente em datas comemorativas ou uma surpresa em dias normais. Engajar – com naturalidade – é sempre uma boa ideia!

4 – Faça pesquisas de clima organizacional e obtenha diagnósticos concretos

Só existe uma forma de descobrir o que os colaboradores da empresa realmente sentem ou pensam a respeito da marca, e a resposta para isso é perguntar!

As pesquisas são uma excelente ferramenta. Conte com soluções voltadas a esse objetivo, faça diagnósticos e saiba como agir de maneira precisa.

5 – Defenda que toda a empresa deve fazer parte das definições estratégicas

Não são somente os diretores ou os líderes que podem colaborar com boas sugestões; toda a empresa pode ter algo a ser exposto para contribuir nesse âmbito. 

Crie momentos coletivos de brainstorming e proposição de ações para envolver e conectar os times durante os períodos de planejamento da empresa.

6 – Articule uma estratégia forte junto às lideranças

Os líderes precisam ser o principal ponto de apoio do time de Recursos Humanos, e formam um dos canais mais fortes de propulsão das mensagens necessárias para unificar a gestão das equipes e transmitir com coerência as metas e valores da empresa.

Nenhum gestor deve ficar distante da estratégia de construção da imagem do negócio. 

7 – Busque exemplos e inspire-se em marcas que já são referência

Algumas empresas são reconhecidas por serem muito disputadas pelos profissionais, constituindo cases de sucesso no quesito employer branding. Algumas delas são: Nubank, Netflix, Google e Spotify.

Informar-se sobre as práticas de cada uma pode gerar excelentes ideias! Mas, lembre-se: cada negócio tem um perfil diferente, e é fundamental entender o que realmente tem a ver com as diretrizes da sua organização.

Como o engajamento impacta na employer branding?

Organizações que prezam pela própria imagem reconhecem que os relacionamentos são essenciais para que todos se sintam reconhecidos. E o reconhecimento tem um importante impacto no engajamento.

Uma empresa cuja reputação é excelente, se torna um lugar altamente desejado para se trabalhar. Para isso, a cultura e a identidade precisam ser trabalhadas de “dentro para fora”.

Nesse sentido, o maior desafio interno é, de fato, conquistar o envolvimento de todos ao propósito da organização. Ou seja, manter os colaboradores engajados.

Há diversos casos em que a imagem da empresa é prejudicada pela postura inadequada da equipe. Esse fato evidencia o engajamento dos colaboradores como um dos fatores importantes para a gestão da imagem de uma empresa.

Cuidar da reputação organizacional não se trata apenas de um conjunto de atitudes complexas. Existem algumas atitudes pequenas e diárias que certamente causam impacto e resultam em uma boa imagem, como:

  • A forma que o colaborador é recebido na empresa;
  • O excelente relacionamento entre os colaboradores;
  • O atendimento que transmite paixão aos clientes;
  • Um colaborador que auxilia o outro no desenvolvimento de uma tarefa.

Construir uma marca empregadora exige pensar em imagem, identidade e cultura. E no que se refere à cultura, esta só é relevante para os indivíduos quando é vivenciada e reconhecida em diversos ambientes.

Constituir a marca empregadora envolve olhar para as relações internas, trabalhando as dinâmicas organizacionais que acontecem no dia a dia. E, para isso, a melhor atitude é a de orientação e inspiração, e não de intensificação de regras e normas de comportamento.

Como marcas empregadoras podem engajar os colaboradores?

Engajar colaboradores envolve iniciativas que geram resultados a longo prazo e, por isso, é preciso ter paciência para ver os efeitos. Há algumas ações que podem trabalhar o engajamento interno, que envolvem:

  • Inspirar os colaboradores via narrativas que demonstram o propósito da organização;
  • Mantê-los informados a respeito da organização;
  • Capacitá-los no que diz respeito à cultura da marca.

É importante enfatizar também que um dos maiores canais propulsores de engajamento são os líderes, que devem estar sensibilizados e envolvidos nesta estratégia.

Esse trabalho exige envolvimento da pessoa com o mundo à sua volta, fazendo com que ela cresça a partir da sua experiência e colaboração com a organização. É reconhecendo a necessidade de mudança que o colaborador justifica o seu agir.

A construção da imagem de uma organização é um trabalho contínuo, que envolve uma série de processos que precisam de constante monitoramento.

Nesse sentido, o engajamento contribui fortemente para a employer branding como uma estratégia de aumento de resultados, tanto para a empresa quanto para os colaboradores.

As vantagens de se ter uma marca empregadora

A visão sobre uma marca e a qualificação dela como empregadora existe não só para os atuais colaboradores, mas também para todos os seus públicos: candidatos ativos e passivos, clientes, futuros clientes etc. 

É o pensamento que deve prevalecer no momento de planejar as iniciativas a serem tomadas. 

Esse é um aspecto que pode contribuir para o crescimento dos resultados do seu negócio e para a formação de um time de alta performance. Uma vez que o olhar voltado à experiência das pessoas no ambiente corporativo aumenta as chances de reter talentos. 

É o que caracteriza uma empresa como sendo People First. Ah! Mas não é só isso!

Contar com promotores da sua marca, gerar vantagem competitiva, atrair candidatos mais alinhados ao estilo da empresa, reforçar os valores da organização e impactar positivamente a produtividade na rotina de trabalho são benefícios trazidos por ações de employer branding.

Para conquistar todos esses ganhos, separamos um webinar especial sobre o assunto a fim de complementar essa leitura e te ajudar a partir para a parte prática! Vamos lá?

Banner do webinar sobre employer branding, em azul com a logo da Pulses

Michelly Dellecave Cofounder, Head of Education & Brand da Pulses. Psicóloga, Mestre em Psicologia, pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas e especialista em Leitura e Manejo de Grupos. Experiência na área de Recursos Humanos e Professora de cursos de graduação e pós-graduação. linkedin.com/in/michelly-dellecave/
O que você achou ?
Curti
Divertido
Adorei
Surpreso
Chateado

Obrigado pelo seu feedback!

Através dele conseguiremos melhorar cada vez mais a sua experiência.

Quer receber mais conteúdos incríveis?

Cadastre-se e receba semanalmente nossos conteúdos por e-mail!