Por Renato Navas
8 min leitura

Desenvolvimento de liderança: como empoderar e dar mais autonomia

A única regra existente para um cargo de liderança – independente da idade, do nível de experiência ou conhecimento técnico do colaborador – é o aprendizado constante. Tanto os líderes quanto o time de Recursos Humanos de uma empresa precisam manter isso no radar: desenvolvimento de liderança é um exercício contínuo

Quer um exemplo?

Vamos imaginar uma empresa que estivesse em uma ótima situação até março de 2020. Com uma cultura organizacional bem definida e difundida, os resultados comerciais vinham sendo alcançados e a perspectiva para o ano que estava começando era a melhor possível. E, então, chegaram as notícias sobre um vírus desconhecido, que mudou o ritmo de vida da população do mundo inteiro.

Não há quem não tenha precisado se adaptar a algum hábito diferente com a pandemia do novo coronavírus. Foi um acontecimento impactante, mas escolhemos esse caso justamente para despertar em você a percepção de que tudo pode mudar a qualquer instante, em escala maior ou menor. 

Fomentar a mentalidade de aprendizado frequente – e oferecer ferramentas para que isso seja de fato realizado – é um papel do RH e consiste na maneira mais efetiva de cuidar da equipe de liderança da sua organização

Não há uma fórmula pronta, mas vamos abordar neste artigo tudo o que você precisa saber para empoderar as equipes, promover a autonomia dos líderes e manter a cultura organizacional da empresa entre os colaboradores

Vamos juntas e juntos entender como isso pode acontecer na prática.

 

desenvolvimento de lideranças

 

O que é o desenvolvimento de liderança?

 

A empresa depende dos resultados das equipes. Líderes estão preocupados com isso, focados em como evoluir os times para chegarem a esse objetivo. Mas, então, quem deve apoiar as lideranças? Podemos afirmar com convicção: O RH

No dia a dia, é comum que gestores percam de vista a necessidade do aperfeiçoamento próprio, o que é de extrema importância para que se sintam preparados diante dos desafios. Sem contar com os novos líderes, recém iniciados em uma função de gestão.

Por esse motivo, a autonomia de uma pessoa que está na liderança depende de um background de ações por parte do RH para garantir o seu desenvolvimento

Vamos tentar um rápido diagnóstico: qual é o tempo e quais são os recursos investidos hoje nas lideranças da sua empresa? O que os líderes têm feito para entregarem resultados com suas equipes? Qual é o nível de preparo das pessoas que estão à frente dos times da empresa hoje? Responder essas perguntas pode ajudar você, profissional de RH, a diagnosticar se o desenvolvimento de liderança é uma realidade ou um gap na sua empresa.    

Cada organização – com sua cultura, seu planejamento, suas metas – deve encontrar a melhor forma de promover a evolução dos seus líderes, alinhada às expectativas de crescimento do negócio. É sobre isso que falaremos a seguir. 

 

Como elaborar um programa de desenvolvimento de liderança

De início, você pode pensar que a solução para iniciar um programa de desenvolvimento de liderança é pesquisar opções de cursos e capacitações para oferecer aos colaboradores. Este não é o caminho: mais de 50% dos líderes seniores não acreditam que a educação executiva tradicional seja adequada para os desafios enfrentados atualmente

Portanto, como primeiro passo, tenha em mente que um diagnóstico de desempenho das lideranças vai trazer muitos insights sobre o que precisa ser desenvolvido. Valide pontos da cultura que interferem no desempenho e comportamento dos líderes, investigue a qualidade do clima organizacional no ambiente de trabalho e, principalmente, tome conhecimento sobre a percepção dos colaboradores sobre os pontos de melhoria de quem está à frente dos times. 

Para que a iniciativa não seja uma ação isolada, uma ótima sugestão é contar com ferramentas de pesquisas contínuas por pulso, que vão proporcionar ao RH a visão de todos esses pontos relacionados acima. Os resultados das pesquisas contínuas serão um direcionamento fundamental para estruturar os planos de desenvolvimento e mensurar seus efeitos. Com isso em mãos, é chegado o momento de planejar e agir:

  • Defina uma estratégia: interprete os dados e analise o que pode alavancar a performance das lideranças no atual momento da empresa;

  • Pense em ações frequentes: organize um processo em vez de uma ação pontual, para fortalecer a relação da liderança com o RH da empresa e promover a interação entre diferentes líderes da organização caso o programa seja realizado em conjunto. Essa troca será muito enriquecedora;

  • Mensure os resultados: ouça as pessoas das equipes lideradas e avalie constantemente se o programa está seguindo o caminho certo ou se algo precisa ser mudado;

  • Mantenha-se perto e na escuta: acompanhe a rotina do time de líderes e pratique a abertura para um alinhamento constante, inclusive com a possibilidade de novos programas de desenvolvimento.

Não espere resultados imediatos. Conte com mudanças positivas dia após dia, pois a cultura de liderança da organização é um organismo vivo. 

Fazendo uma analogia, mentalize uma trilha para a qual você se planeja e pense em tudo o que  vai precisar levar para fazer a caminhada. Ao chegar no local, há chances de que tudo saia conforme o planejado, mas há também a possibilidade de que chova, ou de que alguém do grupo precise de atenção especial, ou ainda que a comida não seja o suficiente.

Esteja pronta ou esteja pronto para se adaptar, sempre!

Além disso, é fundamental que qualquer plano de desenvolvimento de liderança esteja em sintonia com a forma como a cultura da sua empresa se apresenta. Não se esqueça de que o RH é o principal porta-voz dos valores da organização.

 

Por que é tão importante desenvolver líderes?

Um líder capacitado tem grandes chances de impactar positivamente no engajamento e produtividade da equipe e, como consequência disso, alcançar excelentes resultados. Esta é a justificativa mais simples e realista da importância de manter seus líderes prontos para os desafios da rotina de trabalho.

Por outro lado, existem dados que demonstram o quanto um líder mal preparado pode desestabilizar um time. Um levantamento da consultoria de recrutamento Michael Page apurou que oito em cada dez funcionários já pediram demissão  por causa do líder. 

Muito se fala sobre a cultura do feedback para melhorar a relação entre líder e liderado, porém é preciso agir e demonstrar essa abertura na prática. Do contrário, muitos colaboradores não se sentem à vontade na hora de expor suas opiniões, assim como líderes se mostram resistentes quando precisam receber críticas. 

Para Rafael Quinteiro, líder de gestão de pessoas e sócio sênior da Bridge Consulting, nenhuma ação ou ferramenta irá proporcionar o mesmo efeito que espaços de diálogo e abertura para discussão de ideias. O reforço dessa importância resultou no engajamento superior a 90% de toda equipe da empresa em uma plataforma de gestão contínua de pessoas para pesquisa de clima. 

A Bridge apostou na experiência de disponibilizar as respostas das pesquisas em tempo real ao time de liderança. “Os líderes passaram a olhar a ferramenta continuamente para desenharem planos de ação, implementá-los nas suas equipes para mudar o que estava ruim ou reforçar o que estava bom”, explicou o líder de RH da Bridge. 

Para que iniciativas como essa funcionem, os líderes precisam estar preparados emocionalmente e profissionalmente. Por isso, é tão importante que o RH empodere seus líderes e cuide do engajamento dos colaboradores. 

Ouça nosso Podcast para saber mais sobre as ações na Bridge Consulting:


Aliás, motivar a troca de experiências entre os líderes pode ser uma ótima alternativa. Ainda que a cultura organizacional da empresa seja orientada por um estilo de liderança esperado, líderes são pessoas, e pessoas são diferentes. Cada um terá mais potencial em uma ou outra competência, ou ainda poderá conhecer exemplos que vão inspirar ideias e atividades em diferentes times.

Quais as principais competências de um líder?

Por falar em competências, não queremos e nem podemos colocar a função da liderança em uma caixinha para pré-determinar aquelas que se destacam no perfil de quem estará à frente de uma equipe. Porém, algumas características representam um norte interessante quando o assunto é desenvolvimento

Preparamos uma lista com algumas habilidades importantes a serem observadas:

  • Manter uma comunicação clara;

  • Ter o hábito de reconhecer um bom trabalho;

  • Promover a colaboração;

  • Motivar o desenvolvimento da equipe;

  • Alinhar estratégias e ações;

  • Compartilhar responsabilidades;

  • Ter foco em resultados;

  • Sair da zona de conforto;

  • Tomar decisões equilibradas;

  • Valorizar as diferenças;

  • Promover um trabalho saudável e preocupar-se com o bem-estar das pessoas.

Líderes inovadores se destacam. Pessoas com ousadia para novas experimentações, capazes de gerir riscos e de estarem preparadas para as consequências podem fazer total diferença em momentos tão complexos e de mudanças tão significativas quanto o mercado tem enfrentado atualmente. 

Leve isso ao time. Provoque e empodere as lideranças da empresa, conte com o suporte de tecnologias e de ferramentas que ofereçam a possibilidade de entender e melhorar o ambiente de trabalho, deixando os líderes à vontade para inovarem. 

O que você achou ?
Curti
Divertido
Adorei
Surpreso
Chateado

Obrigado pelo seu feedback!

Através dele conseguiremos melhorar cada vez mais a sua experiência.
Compartilhe

Quer receber mais conteúdos incríveis?

Cadastre-se e receba semanalmente nossos conteúdos por e-mail!