Home » Blog » Engajamento » Baixa produtividade? Veja como o engajamento pode resolver
Compartilhe

Baixa produtividade? Veja como o engajamento pode resolver

Por Renato Navas 6 min leitura

Colaboradores engajados se identificam com a visão da empresa e são mais produtivos

Estresse, cansaço, problemas pessoais, medo de perder o emprego. Estes são alguns fatores que podem gerar a baixa produtividade de um colaborador ou até mesmo de uma equipe inteira.

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Universidade de São Paulo (USP), um profissional brasileiro leva 1 hora para realizar a mesma tarefa que um norte-americano executa em 15 minutos.

Você sabe quais são as principais causas desse cenário e de que forma o engajamento pode reverter essa situação, sem perder o foco do bem-estar dos colaboradores?

Continue a leitura para descobrir como o RH e as lideranças podem lidar com isso.

Homem de negócios cansado, em frente ao computador, representando a baixa produtividade

Afinal, quais são as causas da baixa produtividade?

Essa condição pode ser causada por uma série de fatores. Ainda segundo a pesquisa divulgada pelo Jornal da USP, um deles é a queda considerável de profissionais economicamente ativos (com faixa etária entre 15 e 64 anos).

Isso decorre de um problema estrutural, sobretudo em relação à falta de qualificação do colaborador. É por esse motivo que uma das maneiras de reverter o cenário é investir em educação profissionalizante e contínua.

Entretanto, existem outras situações que também podem gerar baixa produtividade. Veja a seguir quais são e como contorná-las:

Função inadequada

Cada colaborador possui um conjunto de habilidades que condizem com sua atuação. Quando a empresa ignora seu perfil, pode ser que ele se sinta desmotivado e tende a atuar com maior desânimo.

Isso é resolvido quando o profissional é inserido em um cargo que esteja de acordo com o seu desempenho. Por isso, realocar uma pessoa de função ou até mesmo oferecer uma promoção, deve ser uma atitude estratégica.

Fadiga emocional ou física

Como dissemos no início deste artigo, problemas pessoais tendem a gerar desgaste físico e emocional. Imagine um colaborador que tenha passado noites em claro por conta do filho doente. Isso é motivo suficiente para gerar baixa produtividade.

O ideal é que a empresa invista no bem-estar corporativo por meio de um trabalho multidisciplinar que abrange áreas de saúde, psicologia, além do próprio departamento de Recursos Humanos.

Trabalho em excesso

Extrapolar as demandas, cobrar demais, sobrecarregar o colaborador de atividades, entre outros excessos, pode prejudicar a produtividade. Com tanta sobrecarga, o profissional tende a ficar ansioso, preocupado e se sentir incapaz. 

O melhor a ser feito é evitar sobrecargas. Claro que sempre haverá dias mais intensos e, neste caso, é fundamental estabelecer uma ordem de prioridades.

Outra saída é ampliar a equipe com novas contratações de estagiários ou assistentes.

Desmotivação

A desmotivação pode ser a consequência de uma série de fatores. Os mais significativos são:

  • Baixo salário;
  • Desentendimentos entre membros da equipe;
  • Falha na comunicação com líderes e demais profissionais.

Basicamente, esse clima desmotivacional é reflexo da falta de engajamento no trabalho. Para evitar, é fundamental criar medidas que reforcem a cultura da empresa, bem como promover a interação entre os colegas em momentos de descompressão.

Falta de investimento em capacitação profissional

Se o profissional não sabe “o que” e “como fazer”, é natural que isso interfira diretamente nos resultados da empresa. Além de toda bagagem de experiência em determinada função, ele precisa estar alinhado aos processos do negócio.

Portanto, a equipe gestora deve garantir que os colaboradores tenham acesso a treinamentos e aperfeiçoamento profissional. Isso pode ser suprido com uma boa rede de parcerias com consultores, universidades e empresas que ofertam cursos.

Problemas de infraestrutura da empresa

Limpeza inadequada, falta de climatização, barulho excessivo, ausência de espaço adequado para refeições e descanso são alguns dos problemas de infraestrutura que podem gerar a baixa produtividade.

É fundamental que o RH, juntamente com a equipe de liderança da empresa, permita que os colaboradores desfrutem de instalações adequadas. Afinal, são, em média, 40 horas semanais de uso desses espaços.

Equipes engajadas geram melhores resultados

Profissionais mais engajados desempenham melhor suas atividades. Além disso, eles estão dispostos a ultrapassar o limiar do esperado justamente porque se sentem parte fundamental de uma estrutura.

Quanto mais a gestão se preocupar com o engajamento, maior será a produtividade. É isso que revela uma pesquisa realizada pelo  HayGroup, que aponta que empresas com equipes engajadas aumentam 43% na produtividade.

Mas então, como melhorar a baixa produtividade?

Na série Café com Especialistas, a Michelly Dellecave, Cofounder e Head of Education & Brand da Pulses, fala um pouco sobre a importância de observar as experiências dos colaboradores para garantir engajamento e produtividade desses profissionais. Confira:

Além disso, como também já dissemos, é importante criar medidas a partir da intervenção multidisciplinar de diversos setores e áreas de atuação, com foco nos seguintes elementos:

Liderança proativa: Faz com que o colaborador se sinta valioso para a empresa. Os líderes  devem conversar com sua equipe, ouvir o que cada membro tem a dizer e proporcionar um ambiente de acolhimento e segurança. 

Plano de carreira: O estímulo ao crescimento e às oportunidades dentro da empresa é valioso. É importante investir e explorar o potencial dos colaboradores e ajudá-los a progredir. Para isso, é fundamental saber o que é feedback e como ele pode ajudar.

Senso de propósito: Criar metas e desafios tangíveis é outra maneira de estimular o engajamento. O colaborador deve ter a certeza de que seu trabalho contribui para o sucesso da empresa e deve ser envolvido na tomada de decisões importantes. 

Cultura com foco em pessoas: Incentivar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, estimular a prática de exercícios e proporcionar horário de trabalho flexível são alguns exemplos de cultura que gera engajamento.

Aprimoramento da comunicação empresarial: O diálogo é essencial para evitar a baixa produtividade. Ruídos na comunicação geram conflitos, falhas operacionais e interpessoais e, dependendo da gravidade, provocam acidentes de trabalho.

Você sabe quais são os principais fatores que impactam no engajamento?

Os fatores de impacto no engajamento estão relacionados a cada um dos elementos que mencionamos aqui e devem ser levados em consideração pelas lideranças, pelo RH e por toda equipe de gestão. Veja quais são:

  • Qualidade e frequência do reconhecimento;
  • Oportunidades de desenvolvimento profissional;
  • Justiça distributiva;
  • Atratividade;
  • Condição de trabalho;
  • Abertura a novas ideias;
  • Felicidade no trabalho;
  • Implementação de novas ideias;
  • Oportunidades internas;
  • Justiça de procedimentos;
  • Identificação com a visão da empresa.

Há diversas maneiras de manter a equipe engajada e evitar problemas gerados pela baixa produtividade. Uma boa comunicação, assim como o reconhecimento e o bem-estar de todos são algumas das prioridades que todo gestor deve considerar.

A Pulses é uma plataforma de gestão contínua de pessoas que pode te ajudar a atuar na identificação dos fatores que geram baixa produtividade na sua empresa por meio de soluções que visam auxiliar na melhora da experiência do colaborador.

Por isso, aproveite! Acesse o e-book “Guia Definitivo de Engajamento para Líderes” e confira como ajudar a sua equipe a se tornar mais produtiva e engajada.

Capa do e-book sobre engajamento e liderança que mostra colaboradores subindo escadas para representar o fim da baixa produtividade

Renato Navas Cofounder e Head de People Success da Pulses. Psicólogo, pós-graduado em Administração, especialista em Leitura e Manejo de Grupos, Executive Coaching & Leadership Mentoring, Análise Transacional e Team Coaching. Experiência de mais de 15 anos em programas de desenvolvimento de liderança e de RH. Professor de pós-graduação em Gestão de Pessoas.  linkedin.com/in/renato-navas-27888016/
O que você achou ?
Curti
Divertido
Adorei
Surpreso
Chateado

Obrigado pelo seu feedback!

Através dele conseguiremos melhorar cada vez mais a sua experiência.

Quer receber mais conteúdos incríveis?

Cadastre-se e receba semanalmente nossos conteúdos por e-mail!