Por Renato Navas
8 min leitura

4 exemplos de cultura organizacional para inspirar o RH

 

Unir diferentes dimensões de uma empresa e entender como elas se manifestam entre colaboradores no âmbito coletivo é o que constitui um exemplo de cultura organizacional. Este é um fator de influência amplo, capaz de mudar a realidade de um negócio.

A importância deste tema é grande para fundamentar a estratégia da atuação do time de Recursos Humanos. Por isso, entendê-lo sob diferentes perspectivas e estudá-lo a fundo, será um diferencial no momento de planejar ações com seu time.

Pensando nisso, trouxemos alguns exemplos de cultura organizacional que podem te inspirar. Confira a seguir!

desenho de pessoas conversando no ambiente de trabalho

 

4 exemplos de cultura organizacional

Antes de conhecer exemplos de cultura organizacional de sucesso, é importante lembrar que estamos tratando de um assunto em que não há certo ou errado. Também não existe uma fórmula a ser aplicada.

Cada companhia tem direcionamentos a serem seguidos de acordo com algumas especificidades, visando a coerência com a sua história e o estilo da sua marca. E é isto que vamos compreender neste artigo.

Microsoft – transparência e diversidade

A Microsoft é um exemplo prático de como a cultura é diretamente influenciada pelo perfil de quem comanda o negócio. Há alguns anos, a nomeação do CEO Satya Nadella deu início a um processo de transformação da marca.

Com hackathon anual, incentivo da participação colaborativa e empoderamento individual dos colaboradores, a renovação iniciada no time logo refletiu em novas decisões estratégicas e em uma explosão de novidades e aperfeiçoamentos em produtos.

A experiência se tornou um livro escrito pelo próprio CEO. Nadella percebeu a necessidade de usar a cultura como estratégia quando viu que as opiniões do time divergiam sobre possibilidades de parcerias e sobre o negócio de computação em nuvem como nova opção.

O CEO também reconhece erros. Um deles foi sua resposta em um evento à Maria Klawe, ex-conselheira da Microsoft, sobre a disparidade de salários entre homens e mulheres.

Após um deslize, Nadella enviou um e-mail a toda empresa com o vídeo, revendo sua posição. Além disso, o CEO também passou a incentivar mudanças reais nessa área a partir daquele episódio.

Um exemplo prático de uma postura transparente, que gerou investimentos em programas de diversidade e de divulgação de dados sobre igualdade salarial na empresa.

 

Spotify – crescimento exponencial e cultura Ágil

Desde o surgimento, a rápida evolução do Spotify não foi um obstáculo para levar adiante a engenharia proposta pela sua cultura organizacional. Aplicando conceitos de metodologia Ágil, a empresa incorporou as diretrizes em um manifesto próprio embasado nos pontos mais coerentes ao negócio.

Com os profissionais divididos em equipes autônomas, focadas em demandas específicas do produto, a ideia de aprimoramento contínuo entrou em um fluxo de alto grau de colaboração e manutenção natural da cultura.

Cada time decide o que fazer e como fazer para chegar a uma entrega em comum, com missão, estratégia de produto e pequenas metas a serem alcançadas. O espaço físico também foi otimizado para transmitir os valores priorizados na rotina da empresa.

O Spotify acredita que um alto grau de alinhamento permite autonomia dos profissionais: líderes precisam comunicar os problemas a serem resolvidos e o porquê, enquanto as equipes colaboram umas com as outras para encontrarem a melhor solução.

 

Zoom – cultura que você vê e sente

O fundador da Zoom, Eric Yuan, descreve a cultura da empresa em uma só palavra: “felicidade”. Na prática, a estratégia adotada pelo negócio foi a criação de uma “equipe de felicidade”, responsável por iniciativas que reforcem o sentimento entre os colaboradores.

Desde o onboarding (cada novo integrante tem um mentor, responsável por apresentar a cultura da Zoom), passando por celebrações, ações de voluntariado e eventos para trazer os pais ou os filhos à empresa.

Yuan declara que seu trabalho tem o objetivo de manter os colaboradores felizes. Não à toa, foi escolhido um dos melhores CEOs de grandes empresas em 2020.

 

Hubspot – o trabalho em equipe reflete no desempenho individual

A Hubspot alcançou 97% de aprovação dos funcionários em 2020 e, em 15 anos de história, já foi reconhecida como ótima empresa para se trabalhar pelo menos outras 4 vezes.

Com mais de 3300 colaboradores, presença em 120 países e mais de 70 mil clientes, os líderes elegem um único motivo para a avaliação positiva dos colaboradores: a cultura organizacional.

Um código interno bem estruturado com as equipes é o que rege o dia a dia da empresa. Além de demonstrar a importância de materializar intenções e promessas para selar acordos a serem seguidos por diferentes pessoas trabalhando por uma marca em comum.

O documento contempla o fiel compromisso com a missão de ajudar os clientes e prezar por relações de longo prazo, compartilhar conhecimentos e ser transparente, favorecer autonomia, manter espírito de dono.

Além de acreditar que a principal qualidade do negócio é contar com pessoas fantásticas, questionar o status quo e reconhecer que a vida é curta e que o trabalho precisa ser divertido, pois ocupa um tempo considerável dela.

 

Qual é a cultura organizacional da sua empresa?

Para responder esta pergunta o mais indicado é abrir o leque dos direcionamentos que compõem a sua empresa. Isso vai te ajudar a identificar e desenhar a sua cultura organizacional de forma mais completa e eficiente.

Entender a sugestão de autores reconhecidos por seus estudos sobre o tema também pode te ajudar. Pensando nisso, abordaremos os modelos de análise de Allaire e Firsirotu que são os que melhor se aproximam da complexidade merecida pelo conceito.

Eles sugerem que a cultura organizacional é uma fusão de contribuições dos meios externo e interno, desenhada pelas personalidades, percepções de valores e normas sociais vivenciadas fora da organização. E o que isso quer dizer?

Que para refletir sobre a sua empresa e chegar à descrição da sua cultura organizacional, é importante observar os seguintes fatores:

  • Histórias;
  • Mitos;
  • Símbolos;
  • Rituais;
  • Padrões de comportamento;
  • Valores;
  • Crenças.

É como se estivéssemos falando de uma cebola – metaforicamente proposta por Schein -, e cada um dos pontos descritos acima compusesse diferentes camadas. Essa é uma das interpretações mais clássicas.

Ela sugere que a cultura acontece à medida em que as pessoas experimentam e são impactadas por elementos da estrutura empresarial, gerando sintomas e comportamentos merecedores de monitoramento e cuidados.

Alguns tipos de cultura podem orientar as organizações, como: cultura de poder, de papéis, tarefas e pessoas. É possível analisar cenários e estabelecer melhorias no clima organizacional para, a médio e longo prazos, mudar ou reforçar a essência da empresa.

Frameworks e ferramentas especializadas podem ser grandes aliados nesta etapa.

Gerir a cultura organizacional com a devida atenção significa entender se há coerência das práticas e processos com as diretrizes esperadas pelos owners e pelo RH. Ou seja, se os sintomas e comportamentos refletidos no dia a dia estão alinhados ao que foi planejado.

 

Por que refletir sobre a cultura organizacional é tão importante?

Uma empresa com a cultura enfraquecida corre o risco de perder sua identidade e o equilíbrio das decisões. É como navegar com uma bússola quebrada, uma vez que alguns aspectos da uma empresa dependem da cultura organizacional, como:

  • as relações interpessoais;
  • o estilo de liderança;
  • a forma de tratar os clientes;
  • a imagem da marca.

Segundo pesquisa realizada nos Estados Unidos pela Grant Thornton LLP e Oxford Economics, existe uma correlação entre o estabelecimento de uma cultura organizacional e o aumento da receita de uma companhia.

Executivos de empresas com receitas de até 5 bilhões de dólares afirmaram que organizações com cultura organizacional extremamente saudável têm 1,5 vez mais chance de chegar a um crescimento médio de mais de 15% em três anos.

Mais do que isso: aumenta a probabilidade de reter talentos por mais de 6 anos, de 29% do geral para 45%. É uma grande conquista, já que metade dos colaboradores ouvidos priorizam empregos com remuneração menor, mas com uma cultura organizacional melhor.

Você já parou para pensar nisso? Como você visualiza os fatores que compõem a cultura da sua empresa? O quanto você já pesquisou e conversou com líderes e colaboradores para entender o nível de percepção deles sobre a essência da organização?

Ter esse diagnóstico é a única forma de ponderar insights e ideias para atuar em gaps ou aperfeiçoamentos. Por isso, conhecer exemplos que podem apontar caminhos excepcionais em busca de uma cultura organizacional admirável é essencial.

 

Valores importantes para uma cultura organizacional

Um estudo divulgado recentemente pela Glassdoor relacionou 9 valores mais citados por empresas líderes com grande influência nos resultados:

  • Agilidade (empresas que forneçam respostas rápidas e efetivas, flexíveis a mudanças);
  • Colaboração (quando todos trabalham juntos, mesmo que em times diferentes);
  • Cliente (organizações que mantenham a filosofia do cliente no centro e priorizem suas necessidades);
  • Diversidade (locais de trabalho promotores da inclusão e da diversidade, sem distinção de gênero, raça, etnia, orientação sexual, religião ou nacionalidade);
  • Execução (negócios com fluência de ações, que realizem projetos e busquem excelência em processos);
  • Inovação (pioneirismo em produtos, serviços, tecnologias ou formas de trabalho);
  • Integridade (consistência ética e honestidade);
  • Performance (empresas com práticas de reconhecimento, recompensas por resultados e promoções relacionadas à entregas);
  • Respeito (demonstrações de consideração e práticas de cortesia, dignidade e admiração entre colaboradores).

É para te ajudar nessa missão que selecionamos as empresas citadas anteriormente. Uma vez que elas se destacam no assunto e inspiram boas práticas e o fortalecimento da cultura organizacional da sua empresa.

 

Afinal, o que aprendemos com cultura organizacional?

Observamos que o ponto em comum entre os exemplos de cultura organizacional aqui mencionados é o arranjo dos processos em acordo com o estilo da marca. Transformar a essência da empresa em práticas diárias é o ideal a ser planejado e alcançado pelo seu negócio.

Para tornar essa leitura ainda mais completa e continuar no ritmo de inspiração, confira o eBook da Pulses com detalhes sobre duas das empresas mais citadas quando o tema é cultura: Netflix e Google.

Banner informativo do eBook sobre cultura organizacional da Netflix e Google

O que você achou ?
Curti
Divertido
Adorei
Surpreso
Chateado

Obrigado pelo seu feedback!

Através dele conseguiremos melhorar cada vez mais a sua experiência.
Compartilhe

Quer receber mais conteúdos incríveis?

Cadastre-se e receba semanalmente nossos conteúdos por e-mail!